Fórum

Qual é a moeda mais antiga cunhada em Portugal?
Esta e outras perguntas poderão ser esclarecidas aqui pela nossa equipa multidisciplinar e os seus especialistas em numismática e medalhística

Quer colocar uma questão? Envie um e-mail para aqui

Obrigado pela mensagem. A pergunta que nos coloca é interessante. A resposta pode ser encontrada no facto de, há mais de cinco séculos, terem circulado em Portugal moedas com designações idênticas mas produzidas em metais diferentes: as de prata eram conhecidas, pelo seu aspeto mais claro, como «brancas», e as de cobre, pelo seu aspeto mais escuro, como «pretas». Foi, por exemplo, o caso da moeda conhecida como real. O termo «preto» vem registado nas crónicas da época já com este significado, o que evidencia que era de uso corrente entre a população.

Ao longo dos séculos, várias foram as moedas que se distinguiram pelo seu módulo e elevado teor de metal precioso. Uma das que suscita hoje em dia o maior interesse dos especialistas e dos colecionadores é, sem dúvida, a dobra de 24 escudos, cunhada durante o reinado de D. João V, no século XVIII. Trata-se da maior moeda de ouro alguma vez cunhada em Portugal. Esta moeda começou a ser emitida no quadro da chegada a Portugal das primeiras remessas de ouro com origem no Brasil, e rapidamente se transformou, pelas suas características técnicas e estéticas, numa peça muito apetecida fora das fronteiras do reino. A dobra de 24 escudos é um dos tipos de peça a que se pode atribuir a designação de «padrão de qualidade»: a simbologia de prestígio que ostenta é consentânea com a ideia de que o rei é a síntese perfeita da ideia de monarquia absoluta.

A primeira moeda cunhada em Portugal pode datar-se do reinado de D. Afonso Henriques, isto é, sensivelmente da segunda metade do século XII. Trata-se da moeda conhecida como dinheiro, batida em bolhão e com valor que sugere que se destinaria às necessidades básicas da subsistência quotidiana.

Mas isto, claro está, no respeitante às moedas cunhadas desde que Portugal se tornou um país independente. Muito antes disso, outras moedas foram cunhadas no território que é hoje português. As primeiras moedas cunhadas neste território tiveram lugar ainda antes da era cristã. Por influência das moedas romanas, vários núcleos de povoamento indígenas da II Idade do Ferro, com forte tradição mediterrânea, bateram moedas, de diversas denominações e valores, entre os séculos II e I a. C.: foram os casos, por exemplo, de Myrtilis (Mértola), Balsa (Torre de Ares, Tavira), Dipo (Elvas), Cilpes (Silves), Ipses (Vila Velha, Alvor), Baesuris (Castro Marim) ou Beuipum (Alcácer do Sal).